Pisco: único, incomparável e peruano

O aroma do Pisco é o perfume do Peru; e seu sabor, o orgulho peruano em cada gole.

A origem desta bebida emblemática encontra-se na província com a qual partilha o nome, onde são colhidos os 8 tipos de "uvas de pisco", distinguidas pelas suas fragrâncias inconfundíveis. Seu processo de elaboração valoriza a tradição dos primeiros produtores deste conhaque, cuja origem remonta ao final do século XVI.

Não intervém nenhum outro ingrediente além do mosto fresco, que permite preservar a pureza da bebida em seu mais alto grau.

Por estas razões, Pisco é considerado um produto principal e um  motivo de orgulho nacional: um presente do Peru para o mundo.
A província de Pisco fica às margens do Oceano Pacífico, a 230 quilômetros ao sul da capital do Peru. Foi neste lugar que, há mais de 450 anos, foram plantadas as primeiras vinhas, cujas raízes afundariam profundamente nos campos férteis do novo continente. Ao longo dos séculos, essa palavra - que se tornou o nome de Pisco - foi herdada pela cidade, o rio, o porto e a província.

Embora não se saiba exatamente quando o nome Pisco foi usado pela primeira vez para o destilado, há documentos que usam o termo para se referir às primeiras produções no final do século XVI. Outros locais onde este destilado é produzido são os vales de Lima, Ica, Arequipa, Moquegua e Tacna.

A variedade Pisco é outra das suas características sedutoras, cujo encanto provém do sabor e aroma de 8 tipos incomparáveis ​​de uva. Estes permitem classificar o licor peruano em três grupos: Puro, Acholado e Mosto Verde.

Puros: eles são feitos com a produção de uma única variedade, como Quebranta, cujo selo imprime ao Pisco seu sabor inconfundível de banana, maçã, nozes vermelhas e passas pretas.

Seguem Mollar, que libera aromas de capim fresco e mel; La Negra Criolla, cujos toques de chocolate, pêssego e lima são apreciados levando o copo ao nariz; a Uvina, que tem um tom característico de oliveira; a Itália, que reúne aromas sedutores de limão, mel e passas louras; o Torontel, com seu sedutor roce de jasmim, flor de laranjeira e tangerina; Mascate e seu cheiro inebriante de pêssego, baunilha e rosas; e, o Albilla, que surpreende pelo seu bom sabor a pêssego e maçã, bem como por seus toques de nozes e baunilha

Acholados: É o resultado sublime da união de dois ou mais tipos de uvas Pisco. Graças a este encontro sutil, pode-se conceber uma maravilhosa variedade de aromas e sabores: a mistura pode ser encontrada entre uvas pisqueiras, mostos frescos fermentados de uvas Pisqueiras, e entre piscos de uvas Pisqueiras.

Mosto verde: Eles são feitos com uvas Pisco cujos mostos não completaram o processo de fermentação, dando vida a um perfume mais intenso destilado, e possuindo as melhores propriedades de cada uva.

Dias comemorativos do Pisco:

"Día del Pisco Sour": Primeiro sábado de fevereiro.

"Día del Pisco": Quarto domingo de julho.